.. a ele, o amor da minha vida. 


De todas as poesias líricas que já li sobre o amor, nenhuma delas descreve aos pés o que sinti pelo nosso amor. Ele foi único, e vai continuar sendo, não há cartas a Julieta, ou P.S eu te amo que irá contextualizar o que nos aconteceu. Você me mostrou da maneira mais inanimavel como foi bom te-lo por perto. E Ainda sim, sei que me escuta, e repito que não me arrependi de nada que nos aconteceu. 

Quando você foi embora, por incrível que pareça eu fiquei em paz. Porque você só foi embora de corpo, mas a sua essência continua aqui em matéria. Continua suas memórias coladas nas minhas, continua suas sensações tocadas em mim. Ainda sim continua boa parte das coisas que tenha feito aqui. 

Sinto muito por poder toca-lo ou besliscar você como costumara fazer para saber se estava acordado ou falando sozinho sonhando, mas se Deus ti quis por perto não posso questionar. Ele divide a mesma opiniao que a minha sobre você, querê-lo em sua sombra por ser esse ser de luz que fora aqui com todos a sua volta. 

Só peço que deixa essas lembrar boas para eu poder contar aos nossos filhos em histórias ou fotografias que todo esse caso foi real, e Ainda sim você irá ser real até a eternidade.

Carta – Júlia ao Bernardo (em memoria).
Tolentino, Clarice.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s